sábado, 5 de março de 2011

Poeticamente



Seja a minha poesia delicada,
Redondo afago em corpo feminino;
Grácil, viril como uma espada;
Pura como um desejo de menino;

Em lhe bulindo o sol, seja um brilhante;
Doce qual uma nota musical
- E que eu me espante
De tê-la assim criado natural.

Manuela Vital

2 comentários:

Fê-blue bird disse...

Amiga:
Há quanto tempo!!!
Tive muito prazer em ler este seu delicado poema.

beijinhos

Manuela disse...

Querida amiga
Há quanto tempo!!! diz muito bem.
Tenho andado afastada dos blogues.
Ainda não tinha acabado o poema, já a minha amiga o estava a comentar. Imagine levei imenso tempo a colocar a imagem, pois já não me lembrava. O meu afastamento deve-se ao facto de estar a escrever um livro de histórias infantis, por acaso acabei hoje.
Espero que a minha amiga esteja bem.
Beijinhos
M.V.